publicado em:7/04/21 1:05 PM por: admin_ibgem Blog

Saber como calcular os impostos incidentes em seu negócio é um conhecimento fundamental para alcançar o sucesso. Por isso, é sempre válido estudar sobre o assunto e, se necessário, contar até mesmo com a ajuda de profissionais especializados para efetuar a tarefa. Isso porque esse momento não pode apresentar qualquer tipo de erro. Pensando nisso, nós do IBGEM decidimos elaborar um texto explicativo sobre um cálculo extremamente importante e presente na vida de muitos gestores. No artigo de hoje, explicaremos como calcular o IRPJ no lucro presumido. Acompanhe!

O que é o Lucro Presumido?

Para entender como calcular o IRPJ no Lucro Presumido, inicialmente é necessário ter conhecimento do que é este regime tributário. Basicamente, ele engloba empresas que possuam faturamento anual menor que R$78 milhões. Também é preciso saber que nele o Imposto de Renda e a CSLL incidem sobre uma alíquota definida pela Receita Federal. Agora que você já tem uma breve noção sobre o assunto, é possível partirmos para a próxima parte de nosso artigo, explicando como calcular o IRPJ no Lucro Presumido.

Como calcular o IRPJ no Lucro Presumido?

Para calcular o IRPJ no Lucro Presumido é utilizada uma fórmula específica e bastante simples. Ela indica que sempre deve ser cobrado 15% sobre o lucro presumido e 10% para lucro presumido superior a R$20.000 por mês. Tudo isso é previsto pela lei 9.249/1995, art. 3º. Para facilitar a compreensão iremos demonstrar como funciona com um breve exemplo. Vamos supor que o lucro presumido apurado durante determinado período seja de R$30.000,00. Nesse caso, as contas seriam efetuadas da seguinte maneira:

De maneira geral, no IRPJ os percentuais sobre as receitas auferidas variam bastante. Eles dependem, na maioria dos casos, do tipo de atividade efetuada pela empresa em questão. Portanto, esse também é um ponto de destaque e que deve ser observado na hora de efetuar o cálculo do tributo. 

Outros impostos que fazem parte da apuração do Lucro Presumido

Outro ponto importante é saber que além do IRPJ, ainda existem outros impostos que fazem parte da apuração do Lucro Presumido. Entre eles podemos citar o CSLL. A Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido é um tributo federal brasileiro que incide sobre o lucro líquido do período-base, antes mesmo da provisão para o Imposto de Renda. Ela é calculada por meio da aplicação de uma alíquota de 9% sobre o Lucro Presumido.

No regime, também há a incidência de PIS/COFINS. Estes são calculados com base no faturamento mensal da empresa. O interessante é que eles podem possuir natureza cumulativa ou não cumulativa, o que certamente interferirá no valor final do cálculo. A alíquota varia, variando entre 0,65% a 1,65% para o PIS e 3% até 7,6% para o COFINS.  Além desses tributos, também devemos citar o ICMS. Nesse caso, a alíquota deve ser consultada na prefeitura do município, podendo variar entre 2% e 5% de acordo com o tipo de serviço prestado.

Como simplificar o cálculo do Lucro Presumido?

Para simplificar o cálculo do tributo e se organizar melhor é possível dispor todos os dados necessários para o pagamento do tributo em uma planilha. Estas geralmente são segmentadas em atividades específicas, podendo ser encontradas em uma breve pesquisa realizada na internet. Com ela em mãos é só preencher os valores das receitas para se chegar aos tributos devidos em determinado período. Outra maneira de simplificar todo o procedimento se dá através de softwares tributários, tecnologias que estão em alta no cenário tributário.

Lucro real x Lucro presumido

Agora que você já entendeu como calcular o IRPJ no lucro presumido e todos os outros impostos que fazem parte da sua apuração, fica a questão: será que este é realmente o melhor regime tributário para a minha empresa? Como já dissemos, a melhor maneira de descobrir isso é contando com ajuda profissional. Mas para facilitar a sua vida iremos falar um pouco sobre o assunto. E para isso, utilizaremos dois regimes semelhantes e que, muitas vezes, acabam confundindo as pessoas: O Lucro Real e o Lucro Presumido.

Note que enquanto no Lucro Real todos os processos são calculados a partir de dados de despesas e receitas, no Lucro Presumido tais cálculos provém de um percentual pré definido que varia de acordo com o tipo de empresa em questão. Nesse sentido, é possível dizer que o Lucro Presumido é um regime relativamente mais simples. Isso porque, uma vez que ele trata de informações menos detalhadas, seu cálculo se torna mais fácil. Contudo, quando focamos no Lucro Real, podemos observar um regime mais completo. Desse modo, ele exige um controle mais eficaz e mais atento dos dados da empresa.

Cabe a você, em conjunto com um profissional especializado na área tributária, efetuar esta decisão. Para isso, devem ser analisados inúmeros fatores, como as normas tributárias vigentes no país em questão e a atividade principal de seu negócio. Neste momento não é necessário ter pressa pois uma escolha errada pode trazer uma série de problemas, principalmente para um negócio que abriu suas portas recentemente.





Comentários



Adicionar Comentário