O que fazer na reabertura do mercado para pagar menos tributo

O que fazer na reabertura do mercado para pagar menos tributo

Dicas Tributárias: como pagar menos tributos na reabertura do mercado

Muitos setores do mercado foram gravemente lesados pelo período pandêmico que vivemos. É fato que todos eles estão bastante vulneráveis e precisam encontrar caminhos para superar este momento. E uma maneira indicada para isso é através de manobras que auxiliem a pagar a menor quantidade de impostos necessários na reabertura do mercado. Desse modo, elaboramos um guia com dicas tributárias bastante úteis para a sua empresa durante essa retomada. Observe:

Analise minuciosamente o Regime Tributário vigente em seu negócio

Para qualquer empresa, a análise recorrente do regime tributário se demonstra essencial para a garantia do sucesso. E isso vale mais em tempos de crise, como o que vivemos atualmente.

Para isso, é preciso um levantamento de dados financeiros, contábeis e fiscais. Estes serão fundamentais para a manutenção ou escolha de um novo regime tributário para o seu negócio. 

Entenda que eleger o melhor regime tributário quer dizer não correr riscos de se envolver em problemas com a Receita Federal e não pagar tributos e contribuições além do devido. Logo, esta é uma tarefa importantíssima.

E, para isso, é necessário entender que um enquadramento tributário não é o melhor por definição ou por suas características e sim pela maneira como ele funciona em seu negócio.

Dessa forma, um dos parâmetros mais importantes para sua escolha é o momento atual de sua empresa. E para que a análise de enquadramento seja efetuada de maneira impecável, o ideal é contar com profissionais especializados na área.

Classificar todos os itens de maneira correta é uma das melhores dicas tributárias para o momento pós pandêmico

A classificação fiscal de mercadorias é imprescindível para o seu negócio. Trata-se de uma uma espécie de código que permite encaixar cada uma das  mercadorias em sua devida categoria, para que seja viável estipular, entre outras questões:

  1. os tributos;
  2. os incentivos fiscais existentes;
  3. o tratamento administrativo do produto;
  4. seus controles estatísticos;
  5. sua valorização aduaneira.

Ainda é importante entender que a padronização da classificação fiscal favorece bastante os negócios. Assim, trata-se de um processo complexo e inevitável no comércio. Entretanto, ele ainda causa diversas dúvidas, mas elas serão esclarecidas.

Um ponto importante é compreender que se a classificação é feita de forma imprópria, muitos problemas podem surgir, como aplicação incorreta dos tributos ou até mesmo a retenção de mercadorias na alfândega. 

Dessa forma, para evitar que isso aconteça e garantir o cálculo correto das alíquotas, é preciso classificar as mercadorias com muita atenção, de acordo com a legislação tributária vigente.

Uma vez que as leis estão em constante transformação, aquelas empresas que classificam seus produtos uma única vez e não fazem atualização do cadastro estão correndo altos riscos de autuações ou, ainda, pagando tributos a maior. 

Logo, revisar a classificação fiscal permite a recuperação de créditos e mitigar possíveis riscos e penalizações por erros. Nesse contexto, podemos inferir que reaver impostos pagos a mais também é uma excelente maneira de garantir uma melhor saúde financeira em momentos de crise, como é possível observar neste artigo.

admin

Deixe uma resposta